terça-feira, 13 de outubro de 2009

Puff...

Adoro ser mãe. ADORO MESMO. Não o trocaria por nada e já aqui disse milhares de vezes que os filhos que temos - mesmo não tendo sido escolhidos por nós - são aqueles que escolheríamos, se pudéssemos faze-lo.
Mas… estamos cansados. Exaustos…
Por opção própria, nunca quisemos viajar, nem alinhar em qualquer plano sem eles. Contamos "ir para fora" muito proximamente, agora que já estão mais “crescidos” (aguardamos apenas, novos desenvolvimentos em relação à vacina da Gripe A!!!). Mas nunca conseguimos faze-lo antes, porque somos daqueles pais (e não critico os que fazem o oposto) que a partir do momento em que decidimos tê-los, andamos sempre com os “apêndices” atrás! O contrário, não nos faz qualquer sentido e, tendo em conta o largo período de tempo em que estamos ausentes, menos ainda. Mas apercebo-me hoje, que não tínhamos perdido nada, se tivéssemos deixado o Xavier logo de pequenino para que se habituasse um pouco à nossa independência e à sua própria. Gostava de ter tido a coragem para agarrar numas malas e seguir viagem com a minha "metade".

Tenho saudades das nossas viagens... da adrenalina de conhecer novas cidades, dos kms que normalmente preferimos percorrer a pé do que faze-los de transportes; dos amanheceres em praias de sol intenso e mar tingido de azul turquesa; do pôr-do-sol pintado de vários tons de rosa e vermelho, parecendo-nos sempre que o Sol era outro nesses locais... Saudades. Muitas.
Precisava mesmo de sair... De namorar a 2 e não a 4. Que Deus não me castigue, porque eu própria não conseguiria viver sem eles, mas gostava de arranjar coragem para na próxima viagem que marcarmos, os deixar por cá...
Porra!!! Realmente ser mãe/pai não é tarefa fácil e o que nos vale é que viajámos bastante antes de os ter... ou se calhar o mal foi mesmo esse!...

3 comentários:

Teresa disse...

Ai esta praia... .passei lá a Lua de mel...
Lá em casa somos como vocês.. mas ainda não sentimos necessidade de deixar cá o piriquito :)
Daqui a uns tempos, quem sabe... mas ele já dormiu algumas x em casa dos avós, por isso não há-de ser grave :)
Bjsss a recordar

© Tété £ Xavier disse...

Faço minhas as tuas palavras, no que toca a ter o Xavi sempre colado a mim.

Para mim, não faz sentido que seja de outra forma se o filho é meu e como tal parte integrante de mim, de nós.

Mas gostaria de ser ligeiramente diferente… mas não tem como!

Isto para dizer que te entendo… e com 2 então nem se fala.
Deus não há-de castigar, porque haveria de fazê-lo?!

Sendo uma mãe sempre presente mais vale parar, temporariamente, para recuperarem do que deixarem andar e tudo piorar.

Admitir que precisas de estar a 2 é magnânimo e nem toda a gente consegue admiti-lo, porque esse desgaste chega a tosos… mais tarde ou mais cedo!

Parar para recuperar tempo de qualidade extra é a melhor solução, ao invés de a saturação vos levar a um extremo.

Tens onde os deixar? Se tens, então fá-lo, por ti, pelo teu marido e essencialmente por eles!

Beijos
Tété & Xavier

P.S. – e já agora por mim também, por não ter ninguém, além da creche ;o)

Tanokax disse...

Minha querida...

eu sei o que dizes e tb sempre te disse que faz falta momentos a dois e namorar um bocadinho...espero que gozem uns diazitos de paz e namorem mto, pois são bem merecidos e não fiques de consciência pesada que os deixas cá porque eles de certeza que preferem os pais a 100%.

Beijão